English way


Entre a possibilidade de falhar e o nada,
abraço a imobilidade.
No pé desta montanha fico imaginando
belos campos além do rio
me prende o medo,
escorregões imaginários,
dentes partidos em quedas que nunca ocorrerão.

Olho meus pés, movem-se timidamente.
passos desesperados de quem nunca vai descolar-se deste chão.

Posted by Roberto de Pinho

3 comments

Do que você tem medo?

This random and unscripted world, one which the book of rules was not even lost, it was simply never written.

Também muitas vezes abraço a imobilidade. Mas sabe o que me liberta? Fazer um balanço entre o que de PIOR pode acontecer e o que de MELHOR pode acontecer. Quando penso nisso, o “former” fica pequenininho e o “latter” fica enorme, daí eu ME JOGO DE CABEÇA.

Ainda mais pra quem não tem filhos, ponto importante na tomada de decisões que podem resultar em desestabilização financeira ou algo parecido.

VAI FUNDO, eu apóio. Qualquer coisa, tamos aqui.

Deixe uma resposta