Outras coisas: Metalinguagem

Seu texto veio a calhar justamente como o tipo de coisa que eu estava querendo ler. Curto, arte, sólido. Lembrei das coisas que eu escrevia. Me perguntei se você escrevia da mesma maneira. Lembro que as vezes escrevia verborragicamente. À medida que fui envelhecendo, perdi a naturalidade e escrevia com muito mais trabalho que inspiração. Escrevia algo raciocinando, procurando dizer com menos palavras. Pensei que talvez você tivesse escrito duas ou três frases e, pensando melhor, teria reduzido em apenas uma. E, satisfeito, desligou o monitor e foi dormir. (me refiro à última frase, que realmente me absorveu – a satisfação de uma frase bem escrita sempre me é muito fisiológica)


Fiquei imaginando há quanto tempo havia escrito aquilo, em que momento da vida. Se tinha observado, ou passado por aquilo.Alguém que lhe viu, ou você como um terceiro olho? Como, o quê, quando…? De quem, aquele olhar ? É uma cena, estou certa de que aquilo partiu de uma cena que você observou. E daria tudo para agarrar essa cena, como quando eu via fotos de gente que havia morrido há pouco tempo e ficava tentando agarrar o exato momento em que aqueles sorrisos das fotos se fecharam em azul. Tento pegar, como se corresse para salvar a vida de uma pessoa num sonho, correndo ao lado de uma cachoeira, somente para descobrir, ao acordar, que procuro salvar minha própria vida – e não consigo.

Fiquei encantada que haja alguém com essa sensibilidade tão perto de mim. Suspirei aliviada por dois segundos. É o tipo de coisas que eu escreveria e ninguém nunca entenderia, estou certa disso.Entao, eis que alguém se adianta, não só entende, como escreve antes de mim! Ufa.

beijos,

Sissi Blue


Posted by Roberto de Pinho

3 comments

Basf, eu já tinha lido este texto. Rs. Como você descobriu BettyBlue? Eu descobri que não tenho hábitos nem sagrado. Isso é uma falha gravíssima! Na minha adolescência eu tive um altar wicca na frente do espelho. E tive tb uma samambaia, que teve um fim trágico. Mas nunca tive hábitos. Acho que vivo caoticamente. Pois eu decidi que em 2007 vou criar hábitos. E reservarei uma hora por dia útil que será SAGRADA para minhas leituras. O slogan de 2007 será “olhos, espelho e luz”, do sermão da sexagésima, de Antonio Vieira. Nunca em ano novo fiz planos pro ano seguinte, esse ano vou fazer. O mandamento no. 01 será: disciplina, disciplina e disciplina.

Ainda estou pensando sobre esse seu blog, “as coisas”. Tenho um longo caminho a trilhar até chegar a “as coisas”. Teoricamente, a physis vem antes, mas eu insisto em começar pelo fim. Você, que está começando do começo, aonde pretende chegar? :o)

Sobre Betty Blue,

Elementar, minha cara S…

O bom de falar de coisas, é que você faz de conta, inventa fábulas e concilia os dois hemisférios cerebrais. Mas o velho ceci n’est pas une pipe não cola comigo. Rs.

Deixe uma resposta