No Atlântico

Em algum lugar do Atlântico perdeu-se o meu anjo exterminador. Indeciso entre o seguir ou o voltar, afogou-se em reflexão e, em reflexo, no espelho que queria controlar. O mundo que herdo não é feito de alegrias ou respostas prontas. Nele cabe a tristeza no olhar do menino e cabe o adulto, que parece lhe […]